Advertising

Author Topic: [INFO] Derivações diretas do Debian vs Derivações reconstruídas, Estável/Teste..  (Read 572 times)

Offline Capitain_Jack

  • Moderator
  • Jr. Member
  • *****
  • Posts: 97
Eu posso ver, ao longo de anos agora, boas pessoas do fórum oficial do Debian e outros agindo de forma escusa, sem ajudar as pessoas falando "Isso não é Debian" e usando o documento oficial https://wiki.debian.org/DontBreakDebian "Don't break Debian" (não quebre o debian) para dar suporte à interpretação incompleta deles de o que é Debian.

Tenho sido um usuário do Debian desde suas primeiras versões, quando você tinha que formatar e instalar pela interface de texto apenas, praticamente na unha, e isso sempre me incomodou.
Conforme eu sofria para ganhar conhecimento sobre o Debian e comecei a entender os seus sabores (flavors), ciclo de vida, diretivas e tudo mais, notei que as pessoas em geral estão entendendo errado o significado da palavra "derivado", tornando esta palavra multi-significado em uma palavra de um significado só e desta forma transformando o que deveria e poderia ser uma comunidade muito maior e melhor do que as dos outros sistemas operacionais são, em uma comunidade segregada, baseada em um nível de puresa ditado e equivocado.

O inimigo (você sabe quem pagou propaganda para matar a reputação do linux...http://cosmicpenguin.com/linux/MICROSOFTS_WAR_AGAINST_LINUX.html) nos quer divididos, para que sejamos mais fáceis de derrotar.

Primeiramente, é preciso deixar claro o que é o conceito de "Debian puro" (Pure Debian), que é mal compreendido, para ser puro, não se pode instalar nenhum pacote contido no repositório  não livre (non-free), então esqueça qualquer driver ou qualquer outra coisa que utilize drivers proprietários, bibliotecas ou software (note que o que realmente sobra é o único e verdadeiro Debian puro) que não está estritamente no repositório livre (free).

Quote
Debian (pronúncia: débian[4]) anteriormente chamado de Debian GNU/Linux e hoje apenas de Debian[1], é um sistema operacional composto inteiramente de software livre. É mantido oficialmente pelo Projeto Debian. O projeto recebe ainda apoio de outros indivíduos e organizações em todo mundo.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Debian

Este deveria ser o nosso espírito:
Quote
...Nós devemos falar sobre liberdade

As estimativas hoje são de que existem dez milhões de usuários de sistemas GNU / Linux, como o Debian GNU / Linux e o Red Hat “Linux”. O software livre desenvolveu tais vantagens práticas que os usuários estão migrando para ele por razões puramente práticas.

As boas conseqüências disso são evidentes: mais interesse em desenvolver software livre, mais clientes para empresas de software livre e mais capacidade de incentivar as empresas a desenvolver software livre comercial em vez de produtos de software proprietários.

Mas o interesse pelo software está crescendo mais rápido do que a consciência da filosofia na qual ele se baseia, e isso leva a problemas. Nossa capacidade de enfrentar os desafios e ameaças descritos acima depende da vontade de permanecer firme pela liberdade. Para garantir que nossa comunidade tenha essa vontade, precisamos difundir a ideia para os novos usuários quando eles vierem à comunidade.

Mas não estamos conseguindo: os esforços para atrair novos usuários para nossa comunidade estão superando os esforços para ensinar-lhes a civilidade de nossa comunidade. Precisamos fazer as duas coisas e precisamos manter os dois esforços em equilíbrio....
https://www.gnu.org/gnu/thegnuproject.html  (tradução: google)

Portanto, é preciso falar sobre um Taboo: Uma derivação direta do Debian, que utiliza os principais repositórios e pacotes do Debian, é Debian em sua raiz, e provavelmente é apenas uma adição de programas e DE (desktop envoriment) que a difere do Debian, então vamos lá, se você instalar em uma ISO do "Debian puro" qualquer driver fora do repositório oficial, foi contaminado, já deixou de ser puro, coloque qualquer coisa de fora dos repositórios livres "free" (sim, incluindo o repositório oficial não livre "non-free") isto não é mais um "puro Debian", então, esta derivação direta, ainda que oficial (ISO contendo o repositório non-free), não é mais o "Debian Puro" também, e tudo bem!!

Quote
...Um padrão comum, mas não único para derivações é o de reutilizar / reconstruir a maioria dos pacotes Debian oficiais e adicionar alguns pacotes customizados por conta própria....
https://wiki.debian.org/Derivatives (tradução: google)

O problema começa quando as pessoas pedem ajuda para uma Distro que é uma derivação direta do Debian no fórum oficial, e as pessoas começam a gritar que ISSO NÃO É DEBIAN e bloqueiam qualquer ajuda à este usuário no fórum deles.

Quote
"...Modelo de derivação Debian: usa pacotes binários Debian e adiciona novos pacotes binários / de código fonte ..."
https://wiki.debian.org/Derivatives/Census/SparkyLinux  (tradução: google)

Se uma pessoa comprar um carro da Ferrari, e colocar uma central multimídia Wolksvagen nela (seja qual for), coloca alto-falantes Pioneer, colocar tela de LCD no painel, etc., a Ferrari deixa de ser uma Ferrari? (derivações diretas, como SparkyLinux) Você também sabe que se a sua central multimídia queima, não é a falha da Ferrari, certo? Não adianta querer que eles saibam o que houve certo?

Vamos deixar claro que é totalmente diferente dos carros da marca SsangYoung, fabricados pela China com um motor Mercedes, é um Mercedes? NÃO! Utiliza apenas o motor da marca (Derivação baseada, recompilado a partir da origem e tendo seu próprio repositório principal, como o Ubuntu), mas tem seu próprio criador. Então você sabe que se alguma coisa além do motor falhar, não é culpa da Mercedes, certo?

Então, vamos contextualizar e fazer uma interpretação correta da documentação não quebre o Debian (Don't break Debian):
Quote
...A razão pela qual as coisas podem quebrar é porque o software empacotado para uma versão Debian é construído para ser compatível com o resto do software para aquela versão. Por exemplo, a instalação de pacotes do buster (teste) em um sistema stretch (estável) também pode instalar versões mais recentes de bibliotecas principais, incluindo libc6. Isso resulta em um sistema que não está nem em teste (testing) nem em estável (stable), mas uma mistura quebrada dos dois....
https://wiki.debian.org/DontBreakDebian  (tradução: google, revisão eu mesmo)

Explicando: Se sua distro de derivação direta OU instalação Debian (livre ou não-livre, 32 bits ou 64 bits) for baseada em estável (stable), não tente instalar nele um software da versão/repositório teste (testing) / versão/repositório instável, ele irá quebrar. Apenas mantenha o mesmo "sabor", como o SparkyLinux, que tem todos os três sabores (estável, teste e instável).

Estável (stable) sempre com Estável (stable), nunca misturado.

A parte mais importante, que aqueles paladinos "puro-debianos" não leem, é:
Quote
...Não siga cegamente os maus conselhos...
...É melhor ter tempo para descobrir a maneira correta de fazer algo primeiro do que gastar mais tempo consertando um sistema quebrado mais tarde. Você não deixaria algum estranho aleatório alimentar seu bebê; não execute comandos sem primeiro entender o que eles fazem....

O Linux é diferente do Windows, não espere seguir uma rotina de ok>ok>ok instalar, como todas as melhores coisas da vida, você precisa se informar melhor para não fazer besteira.

Então eles não lêem, não entendem completamente como sua derivação é DEBIAN em sua raiz e ficam com a mente fechada dizendo que você deveria usar o "Debian puro" antes de pedir ajuda no fórum Debian, mas quando o pacote ou parte do sistema que está problemático na verdade faz parte do repositório Debian, você também pode pedir / usar ajuda em seu fórum oficial, apenas tenha em mente que eles são mente fechada e não ajudarão nenhum usuário de derivação direta honesto.
« Last Edit: March 04, 2019, 12:31:32 am by Capitain_Jack »
"Great spirits have always encountered violent opposition from mediocre minds."
Albert Einstein